O papel da terapia ocupacional no autismo

O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) é um transtorno do neurodesenvolvimento que afeta as pessoas de diferentes formas na área da sociabilização, comunicação e comportamento.

As principais alterações nas crianças com TEA são:

– Interação social: Ausência ou baixa frequência de contato visual, sem interação espontânea com adultos e crianças;

– Comportamento: Repetitivo, estereotipado (dar pulos, chacoalhar as mãos ou sem balançar). Ter interesse restrito em temas e brinquedos específicos;

– Linguagem: Ausência ou atraso significativo do desenvolvimento de linguagem oral (compreensão e expressão) e alteração em diversas habilidades linguísticas.

O Terapeuta Ocupacional (TO) é um profissional muito importante durante o processo de tratamento da pessoa com autismo. Esse profissional busca trabalhar com o seu paciente o desenvolvimento de atividades, desde as mais simples, como escovar os dentes ou se alimentar sozinho, às mais complexas, como dirigir um carro por exemplo.

A Terapia Ocupacional Infantil (TOI) busca trabalhar nas três principais áreas com essas crianças:

1. Atividades de Vida Diária (AVDs);

2. Atividades relacionadas a escola (trabalho escolar);

3. Atividades relacionadas ao brincar, sendo este último o principal recurso utilizado pelo Terapeuta Ocupacional.

O principal objetivo do TO é ajudar o indivíduo com autismo a se tornar mais independente e assim, contribuir para a melhora da sua qualidade de vida.

Além disso, a Terapia Ocupacional trabalha na integração de atividades em seu dia a dia que satisfazem suas necessidades sensoriais e reduz o excesso ou a falta de estímulo.

A TO ajuda a criança a responder de forma adequada aos estímulos como à luz, ao som, ao toque, aos cheiros e outras informações.

A intervenção geralmente foca em atividades destinadas a ajudar uma criança a gerenciar melhor seu corpo no espaço. Ser mais independente e ter autonomia.

A Terapia Ocupacional Infantil pode ajudar a promover habilidades como:

• Habilidades de vida diária (AVD's), tais como vestir-se, pentear o cabelo, escovar os dentes, calçar sapatos, comer sozinho, tomar banho sozinho, entre outras.

• Habilidades motoras finas como escrever, usar tesouras para cortar, rasgar papel;

• Habilidades motora para andar de bicicleta, subir escada por exemplo;

• Consciência corporal no espaço;

• Percepção do corpo;

• Estimulação sensorial (audição, visão, paladar, tato, olfato);

• Habilidades visuais;

• Habilidades cognitivas.

Trabalhando essas habilidades o paciente autista pode se desenvolver e ser capaz de:

• Vestir-se;

• Comer sozinho;

• Escovar os dentes sozinho;

• Tomar banho sozinho;

• Aprender a concentrar e/ou melhorar a concentração quando já é algo pré-existente;

• aprender a se autorregular (criar mecanismos próprios de auto regulação);

• Ser independente;

• Ter autonomia;

• Interagir com outras pessoas.

A terapia ocupacional é uma importante intervenção que auxilia e incentiva o indivíduo com autismo a fazer parte da sociedade e a se tornar mais independente.

No processo de tratamento com os autistas não podemos nos esquecer que a participação dos pais e educadores é fundamental nesse processo, é necessário um trabalho em conjunto e coeso para melhores resultados com o paciente.

O tratamento é longo e deve ser contínuo, pois, o paciente autista deve ser acompanhado em cada fase de seu desenvolvimento neuropsicomotor.

Caso perceba algo de diferente em seu filho busque avaliação de um profissional, quanto antes iniciar um acompanhando terapêutico melhor e mais eficazes serão os resultados.

Fabiana Rodrigues
Terapeuta Ocupacional
Crefito 4 11582 TO
31 971251411

Referências:
Autism Spectrum Disorders: Guide to Evidence-based Interventions – The Missouri Autism Guidelines Initiative
The National Autistic Society http://www.crefito4.org.br
Autism Science Foundation
Intervenção Precoce em Crianças com Autismo – Libel

Comentários

PortalLafaiete.com.br Política de Comentários

Use e abuse do espaço, mas lembre-se de todas as regras antes de participar!

Por favor leia nossa política de comentários antes de comentar.

Participe da discussão...